Quarenta anos de vida missionária em terra Brasileira

O Espírito missionário se abre para um novo mundo...
“O Espírito sopra para onde quer; e não sabemos para onde vai. “ (Jo 3,8).

O Espírito missionário faz da Itália uma mãe generosa de filhas prontas a deixar a própria Pátria para serem presença de Cristo em outras terras. É assim que se dá a quarta abertura missionara “ad gentes” para a Congregação das Irmãs Ursulinas Filhas de Maria Imaculada, que se realizou no ano de 1979, tempo de entusiasmo e inserção na Igreja Brasileira, especificamente na Arquidiocese de Passo Fundo RS.

A iniciativa e o chamado missionário para o Brasil iniciou no Uruguai: como nos escreveu Madre Maria Anastasia Bravin: “Na minha última visita ao Uruguai, o encontro com o Monsenhor Nutti, bispo de Canelones ... Foi providencial, incisivo e rico de consequências. Nasceu e não me deu mais paz a ideia de uma abertura missionária no Brasil”. 

10-2019-40anos-no-Brasil-01.jpg

Foi nesta visita da Madre Anastasia no Uruguai em 1976 que se lançou a primeira semente da abertura missionária no Brasil, na qual o Bispo da Diocese de Passo Fundo/RS, Dom Cláudio Coling, pediu a ajuda e a presença das Irmãs Ursulina na sua diocese.

Da comunidade do Uruguai duas irmãs e um sacerdote realizaram a primeira viagem para conhecer o Brasil e as paróquias da cidade de Passo Fundo/RS e logo entenderam as aspirações, necessidades e o desejos do povo aberto e cheio de esperança por um futuro melhor. Após esse primeiro contato e conhecimento da realidade do povo de Passo Fundo, em 1979 partiram de Verona para o Brasil as primeiras três missionarias: Ir. Assuntina Mastrovincenzo, Ir. Luigia Codegoni, Ir. Teresa Bertoli e, mais tarde para ajudá-las, veio também Ir. Rosaria Vinco, que estava em missão no Uruguai.

As irmãs foram acolhidas com muita alegria pelo povo de Passo Fundo, em particular pela comunidade da Paroquia Santo Antônio do bairro Petrópolis. As primeiras três irmãs vieram morar em uma zona de periferia onde a Igreja estava nascendo e logo iniciam o serviço de formação humana e espiritual: através da catequese e outras atividades formativas, com as crianças, jovens, adultos e famílias, realizado seja no centro da Paróquia Santo Antônio, como nas várias capelas do interior e também nos bairros ligados à Paróquia, em particular onde estavam os mais necessitados e pobres.

A periferia do Bairro São José é o lugar onde as irmãs Ursulinas escolhem para construir a primeira casa. Compraram um terreno próximo ao trevo, onde logo se iniciou a construção do prédio que tinha como finalidade a construção da moradia para as irmãs, mas também de ser casa de formação, com o nome de Lar Maria Imaculada (LAMI).

10-2019-40anos-no-Brasil-02.jpg

Quando apenas tinha alguns espaços da casa já construída, as irmãs vieram habitar na mesma, pois assim tinham a possibilidade de acompanhar as obras da construção e continuar a conhecer e realizar a sua missão apostólica no bairro São José e nas comunidades da Paróquia Santo Antônio. 

Logo vieram algumas adolescentes e jovens participarem de encontros vocacional no LAMI. Nos anos seguintes, algumas jovens vieram morar junto à comunidade das irmãs para fazer um caminho de formação e descoberta vocacional.

O crescimento da missão e o testemunho das primeiras irmãs é abençoado pelo Senhor que as acompanha e enviando frutos de novas vocações. A casa do Lar Maria Imaculada tem a sua inauguração oficial no ano de 1982, com a celebração e a benção do então Bispo Dom Urbano Algayer.

Logo após a inauguração, a comunidade do LAMI abriu as portas para atender à necessidade das jovens estudantes universitárias, que precisavam de um lugar seguro para habitar enquanto realizavam seus estudos, acolhendo-as no pensionato universitário.

Em algumas salas do Lar Maria Imaculada se desenvolviam as atividades das oficinas manuais e artes para as adolescentes e jovens do bairro São José, bem como ambiente recreativo e de evangelização nos finais de semana.

Por longos anos foi oferecido alguns espaços da casa do LAMI, como ambulatório, para atendimento médico da população do Bairro São José e Parque Farroupilha, com o serviço assíduo e dedicado da Dr. Margarete e outros médicos e enfermeiros no atendimento de tantas pessoas doentes necessitadas de cuidados.

É do centro da comunidade do LAMI que nasce a abertura para outras missões e novas comunidades das Irmãs Ursulinas, neste tão imenso Brasil, as irmãs sempre atentas as necessidades de formação humana e cristãs da juventude, das crianças e das famílias, sobretudo as mais necessitadas, se abrem a novas realidades e desafios: é assim que surge a comunidade Santa Ângela, em Coronel Bicaco/RS; a comunidade do Centro Educativo Juvenil Mericiano, em Passo Fundo/RS; o Centro Educativo Imaculada Conceição, em Barra do Garças/MT; o Centro Juvenil  Padre Agostini, em Alto Garças/MT; a comunidade de General Carneiro/MT; o Centro Educativo Pe. Agostini, em Pontal/MT; e das comunidades em Rondônia, COMISUR em Nova Mutum/RO e COMISAM, em Porto Velho/RO.

Atualmente, depois de 40 anos, a Comunidade do LAMI continua com sua missão de ser a casa “Mãe”. É lugar que acolhe a todas as irmãs que retornam de suas comunidades; é lugar de reencontro, de partilha, de oração, de formação, de fraternidade, de revitalização para a missão. É ponto de chegada e de partida para as várias irmãs e pessoas que passam por esta comunidade.

É uma comunidade que acolhe jovens, crianças, famílias e grupos para encontros de formação, de retiro e de festa. É lugar em que se acolhe as jovens estudantes universitárias, para poderem ter um lugar seguro para abitarem. É lugar que hospeda e acolhe com simplicidade e alegria as várias pessoas que precisam de uma noite de repouso e descanso para continuarem a sua jornada de empenhos ou de estudo. 

Pedimos ao bom Deus que continue a dar a graça para que a comunidade do LAMI possa ser sempre casa Mãe, atenta e acolhedora, lugar de evangelização e de fraternidade, sinal da presença de Deus, para todos as pessoas que por ela passarem.

Louvemos e agradecemos ao Bom Deus por estes 40 anos em que se iniciou a primeira obra missionária na comunidade do Lar Maria Imaculada, pelo testemunho fiel e zeloso de nossas primeiras irmãs e de todas as que fizeram e fazem parte desta comunidade. Que Maria Imaculada, nossa Boa e amada Mãe, continue realizando em nós e por nós grandes maravilhas, para que Deus seja sempre mais conhecido e amado.

 

Pensamento do dia:

Olhe sempre para Deus, trabalhe para Ele, viva Nele.

(Bv. Pe. Zefirino Agostini)