Mistagogia do tempo da quaresma da celebração da Páscoa

Cristo sofreu, morreu e Ressuscitou!   

Para melhor viver o tempo Mistagógico que a Igreja nos oferece buscamos de aprofundar e se lançar no espirito de uma vivência maior e uma espiritualidade amadurecida na fé e na prática das virtudes.

Nossa comunidade enriquecida dos dons que Cristo nos doou, junto com a comunidade Paroquial vive este tempo na participação intensa das missas de todos os dias e também os momentos fortes do grupo dos catecúmenos que se prepara fortemente para receber os sacramentos na vigília pascal.

É um tempo de maior intimidade com Jesus e isso só é possível em uma estreita comunhão entre nós e na comunidade.

O nosso viver Mistagógico é viver o mistério Eucarístico todos os dias seja na celebração e participação da missa diária, dos encontros comunitários, refletindo a carta circular da madre Claudia, da leitura assídua da Palavra de Deus, da oração do terço com Maria, da participação das celebrações fortes dos catecúmenos que durante um ano e três meses vem se preparando para receber os sacramentos, eles no tempo de quaresma celebraram os escrutínios, que começou com a entrega do creio no terceiro domingo de quaresma, o quarto domingo celebramos o segundo escrutínio e o terceiro que foi a entrega do Pai Nosso. Para maior preparação para esse momento importante deste grupo de 16 adultos, domingo dia 26 fizemos um dia de retiro espiritual, onde vivenciamos e refletimos sobre os temas, “Desejei ardentemente comer esta páscoa convosco antes de sofre”; o mistério da cruz e ressureição. Os demais grupos de catequese também estão realizando os seus retiros espirituais em preparação para a santa Páscoa.

Crescer na espiritualidade Mistagógico da quaresma é o que nos leva a viver com intensidade esse tempo rico de simbologia e de celebrações que nos tornam cada vez mais resplandecentes do amor de Deus no brilho que nasce da páscoa em nossas vidas.  

 

Irmã Venilza Nekel
Pontal do Araguaia/MT

Pensamento do dia:

Seja como um grão de mostarda nas mãos do Senhor.

(Bv. Pe. Zefirino Agostini)